Glossário


A B C D E G H I M N O P Q R S T V X

A

Ácido fítico – também conhecido como fitato, é um composto que contém fósforo e que se liga aos minerais no trato gastrointestinal, diminuindo a sua biodisponibilidade.

Ácido oxálico – composto encontrado normalmente numa variedade de plantas. No trato gastrointestinal forma complexos com alguns iões e impede a sua absorção.

Ácido pteróico – parte da estrutura dos folatos.

Ácido úrico –produto final do metabolismo das purinas.

Ácido valpróico – fármaco pertencente à classe dos antiepiléticos e anticonvulsivantes.

Ácidos nucleicos – macromoléculas que se encontram no núcleo das células e que contêm a informação genética.

Acrodinia – doença que aparece normalmente na infância, relacionada com intoxicação por mercúrio.

Alimento enriquecido – alimento ao qual foi adicionado um ou mais nutrientes essenciais.

Alopécia – queda de cabelo.

Amiodarona – fármaco utilizado no sistema cardiovascular como antiarrítmico.

Amlodipina – fármaco anti-hipertensor.

Anemia ferropénica – anemia caracterizada por baixos níveis de ferro, necessários para a formação da hemoglobina.

Anemia hemolítica – anemia provocada por um aumento da destruição de glóbulos vermelhos.

Anemia megaloblástica – caracterizada por glóbulos vermelhos maiores do que o normal.

Anemia perniciosa – causada por deficiente produção do fator intrínseco, e consequente diminuição dos níveis de vitamina B12.

Antagonista – agente fisiológico que contraria/impede a ação de outro.

Antidepressivos tricíclicos – classe de fármacos à qual pertencem os seguintes: amitriptilina, clomipramina, dosulepina, imipramina, maprotilina, mianserina, mirtazapina, nortriptilina, reboxetina, trazodona e trimipramina.

Antioxidante – componente que está envolvido na manutenção e reparação das células e do DNA, protegendo as células das lesões causadas pelos radicais livres, que contribuem para algumas doenças crónicas e para o envelhecimento.

Antipsicóticos – classe de fármacos que altera os sintomas psicóticos.

Apoptose – também denominada morte celular programada, é um conjunto de processos que ocorrem na célula e que levam à sua morte. É um processo que permite eliminar as células desnecessárias ou com anomalias.

Artrite reumatóide – trata-se de uma doença reumática inflamatória crónica que envolve particularmente as estruturas articulares e periarticulares.

Astenia – Fraqueza, debilidade, perda de força ou energia.

Ataxia – incapacidade de coordenar a atividade muscular durante os movimentos voluntários.

Azatioprina – fármaco imunomodulador.

topo


B

Barreira hematoencefálica – barreira física no Sistema Nervoso Central que permite selecionar as substâncias que atravessam do sangue para o cérebro.

Beta-bloqueadores – classe de fármacos que bloqueiam os recetores beta-adrenérgicos. Podem ter várias indicações, sendo a principal o decréscimo da pressão arterial.

Bifosfonatos – classe de fármacos utilizada para tratar a osteoporose, inibindo a reabsorção óssea.

Biodisponibilidade – refere-se à quantidade e velocidade com que uma substância ativa ou a sua fórmula molecular terapeuticamente ativa se torna disponível no seu local de ação, após os vários processos de transformação que ocorrem no organismo.

Bioflavonóides – grupo de compostos hidrossolúveis existente em frutos e vegetais e que nos mamíferos ajuda na manutenção da resistência capilar.

Bolo alimentar – pasta mole que resulta da transformação dos alimentos por ação da mastigação.

topo


C

Cadeia respiratória – sequência de reações de oxidação-redução com transporte de eletrões, que são transferidos para o oxigénio e que resultam na produção de água.

Calcipotriol – análogo da vitamina D.

Caloria - unidade de medida de calor. A caloria representa a quantidade de calor necessária para elevar de 14,5ºC a 15,5ºC a temperatura de 1 g de água à pressão atmosférica normal. É usada como unidade de medida do valor energético dos alimentos, que se pode medir também em joule (1 caloria=4,1855 joules). Símbolo: (cal)

Cancro - tumor maligno, isto é, constituído pela proliferação anárquica de células anormais, que invade as estruturas vizinhas e que tem tendência para produzir tumores secundários à distância (metástases).

Capecitabina – fármaco utilizado no tratamento de alguns tipos de cancro.

Carbamazepina – fármaco pertencente à classe dos antiepiléticos e anticonvulsivantes.

Carbidopa – componente utilizado em conjunto com a levodopa na doença de Parkinson, que atua inibindo a degradação da levodopa antes de chegar ao órgão alvo, o cérebro.

Células parietais – células que existem na mucosa do estômago e que são responsáveis pela secreção de ácido clorídrico e fator intrínseco.

Ciclosporina – fármaco imunomodulador.

Cimetidina – fármaco antagonista dos recetores H2 que modifica a secreção gástrica.

Cisplatina – fármaco utilizado no tratamento de alguns tipos de cancro.

Cloropromazina – fármaco antipsicótico.

Coagulação – processo em que as plaquetas e os fatores de coagulação transformam o sangue numa substância semi-sólida de modo a formar um coágulo.

Coenzima – composto orgânico não proteico de baixo peso molecular, que ligado a uma enzima (porção proteica), é responsável pela atividade da mesma.

Co-fator – átomo ou molécula essencial para a função de uma molécula maior.

Colagénio – Proteína estrutural presente em muitos tecidos (tecido conjuntivo, ossos, cartilagem, pele, etc.).

Colquicina – fármaco utilizado no tratamento da gota, com ação antigotosa e anti-inflamatória.

Colestiramina – fármaco que se combina com os ácidos biliares no intestino e forma um complexo insolúvel, impedindo que estes sejam reabsorvidos, diminuindo os níveis plasmáticos de colesterol.

Concentração sérica – concentração de determinada substância no sangue.

Corticosteróides – classe de fármacos análogos das hormonas glucocorticóides e mineralocorticóides libertadas pelas glândulas supra-renais. Podem ser indicados como anti-inflamatório, imunossupressor ou substituição do cortisol na insuficiência supra-renal.

Cortisol – principal glucocorticóide produzido no córtex adrenal, nas glândulas supra-renais.

Cristais de hidroxiapatite – composto inorgânico existente nos ossos e dentes, que dá rigidez a estas estruturas.

topo


D

Dermatite seborreica – inflamação que surge em zonas da pele com um grande número de glândulas sebáceas.

Desferroxamina – medicamento utilizado na desintoxicação pelo ferro ou alumínio.

Desmielinização – remoção ou destruição da bainha de mielina das fibras nervosas.

Digoxina – fármaco utilizado na insuficiência cardíaca e arritmias.

Diltiazem – fármaco vasodilatador, com várias indicações, incluindo a hipertensão e angina.

Dismenorreia – dor durante a menstruação, normalmente causada por contrações no útero.

Dispneia - dificuldade em respirar, acompanhada por uma sensação de opressão e de mau estar.

Diurético - relativo à diurese, que favorece ou estimula a excreção urinária.

Divisão celular – é o processo que permite às células multiplicarem-se, dando origem a outras células.

Doença auto-imune – doença causada por um funcionamento incorreto do sistema imunitário que produz anticorpos contra os próprios tecidos.

Doença celíaca – doença crónica gastrointestinal caracterizada por sensibilidade ao glúten e má-absorção.

Doença de Crohn – inflamação crónica e progressiva do íleo provocando crises de diarreia com dores abdominais, náuseas, febre e perda de peso.

Doença de Moeller-Barlow – doença relacionada com a deficiência de vitamina C nas crianças.

Dopamina – neurotransmissor essencial para o bom funcionamento do Sistema Nervoso Central. A redução na sua concentração está associada à Doença de Parkinson.

Doxilamina – anti-histamínico com efeito sedativo que contribui para aliviar os vómitos.

Doxorrubicina – fármaco utilizado no tratamento de vários tipos de cancro.

topo


E

Edema – acumulação excessiva de fluidos nos tecidos corporais, que provocam inchaço.

Endocardite – inflamação do endocárdio, a membrana que reveste a parte interna do coração.

Enzima – substância proteica existente nas células vivas que produz alterações químicas, necessária para a digestão dos alimentos.

Equimose – passagem do sangue de vasos sanguíneos lesados para o tecido subcutâneo, dando à pele uma cor arroxeada.

Eritropoietina – hormona produzida pelos rins que estimula a produção de glóbulos vermelhos.

Esomeprazol – fármaco pertencente à classe dos inibidores da bomba de protões que modifica a secreção gástrica.

Espinha bífida – malformação congénita em que a coluna vertebral está mal fechada, e por isso parte da medula espinal fica projetada.

Estatinas – classe de fármacos indicada no tratamento da hipercolesterolemia e na prevenção das doenças cardiovasculares associadas a aterosclerose.

topo


F

Famotidina – fármaco pertencente à classe dos antagonistas dos recetores H2 que modifica a secreção gástrica.

Fator intrínseco – glicoproteína secretada pela membrana da mucosa gástrica, que é necessária para a absorção da vitamina B12.

Fenitoína – fármaco antiepilético e anticonvulsivante.

Fenobarbital - fármaco antiepilético e anticonvulsivante.

Fibrina – proteína insolúvel que forma a rede fibrosa necessária para a coagulação do sangue.

Fibrinogénio – proteína existente no plasma sanguíneo, essencial para a coagulação sanguínea, convertido em fibrina pela ação da trombina.

Fitato - também conhecido como ácido fítico, é um composto que contém fósforo e que se liga aos minerais no trato gastrointestinal, diminuindo a sua biodisponibilidade.

Fluido extracelular – todos os líquidos que se encontram no exterior das células, incluindo o plasma sanguíneo e o fluido intersticial.

Fluorouracilo – fármaco indicado no tratamento de alguns tipos de cancro.

Fosforilação oxidativa – processo enzimático no qual a energia libertada na oxidação de metabolitos é utilizada para formar ATP.

Fototerapia – utilização de luz com comprimentos de onda específicos para fins terapêuticos.

topo


G

Gastrite atrófica – inflamação crónica da mucosa gástrica com possível destruição das células e substituição por tecido fibroso.

Gemfibrozil – fármaco utilizado como regulador dos lípidos no sangue.

Glicólise – metabolização da glicose, através de enzimas, com produção de piruvato e lactato e libertação de energia.

Glutationa – tripéptido composto por glicina, cisteína e ácido glutâmico importante em muitas reações oxidação-redução que ocorrem nas células.

Gorduras ou lípidos - qualquer substância orgânica que contém um ácido gordo, sob forma combinada ou num derivado de ácido gordo e que não é solúvel na água (com a qual pode formar uma emulsão). Os óleos e as gorduras são lípidos de reserva dos animais e dos vegetais. Em diversos tecidos do organismo existem lípidos complexos (fosfolípidos, glicerolípidos). A combustão dos lípidos fornece 9 quilocalorias por grama.

Gota - afeção devida a perturbação do metabolismo do ácido úrico, que ocorre, quase exclusivamente, no homem. Manifesta-se por crises de artrite aguda localizada especialmente na articulação do dedo grande do pé e por depósitos de uratos subcutâneos, sobretudo periarticulares.

topo


H

HDL – High-Density Lipoprotein, conhecido por "colesterol bom".

Hemocromatose – doença que afeta o metabolismo do ferro e resulta na acumulação excessiva de ferro nos tecidos do organismo.

Hidrato de carbono ou glúcidos ou glicidos - substância composta por carbono, hidrogénio e oxigénio. Representam, em geral, mais de metade dos alimentos energéticos (amido, glicose, sacarose, lactose). A sua combustão completa fornece quatro quilocalorias por grama.

Hidrossolúvel – solúvel em água.

Hidroxilação – processo químico com introdução de um grupo hidroxilo (-OH) num composto.

Hipercalcémia – excesso de cálcio no sangue.

Hipercalciúria – Presença de cálcio na urina em níveis superiores ao normal.

Hipercolesterolemia - concentração elevada (excessiva) de colesterol no sangue.

Hiperglicemia - elevação da quantidade de glicose (açúcar) do sangue.

Hiperlipidemia, Dislipidemia ou dislipemia - anomalia quantitativa ou qualitativa dos lípidos do sangue (colesterol, trigliceridos).

Hiperparatiroidismo – excesso de atividade da glândula paratiróide, com produção elevada de hormonas paratiroideias.

Hiperqueratose – proliferação de células e espessamento da camada córnea.

Hipertrigliceridemia - concentração elevada (excessiva) dos triglicéridos do sangue.

Hiperuricémia - aumento da taxa de ácido úrico no sangue, observa-se sobretudo na gota.

Hipocalcémia – baixos níveis de cálcio no sangue.

Hipocaliémia – baixos níveis de potássio no sangue.

Hipogonadismo – função inadequada das gónadas (ovários ou testículos), manifestada por deficiência na gametogénese ou na secreção de hormonas produzidas pelas gónadas.

Hipomagnesemia – Níveis baixos de magnésio no sangue.

Homeostase – situação de equilíbrio fisiológico do organismo.

Homocisteína – aminoácido homólogo da cisteína, presente no sangue, que em concentrações elevadas pode ser um fator de risco cardiovascular.

Hormona paratiróideia – hormona libertada pela glândula paratiróide que regula os níveis de cálcio e fosfato no organismo.

topo


I

Ibuprofeno – fármaco pertencente à classe dos anti-inflamatórios não-esteróides.

Icterícia – coloração amarela da pele, olhos e mucosas devido ao aumento de bilirrubina no sangue.

Inibidores da Bomba de Protões – classe de fármacos que inibe a secreção ácida, utilizados em algumas patologias do estômago.

Insuficiência renal – perda gradual da função renal.

Isoniazida – fármaco utilizado no tratamento e prevenção da tuberculose.

topo


L

Lansoprazol - fármaco pertencente à classe dos inibidores da bomba de protões que modifica a secreção gástrica.

L-carnitina – aminoácido essencial para o metabolismo dos ácidos gordos.

Letargia – redução dos níveis de consciência, marcado por sonolência, indiferença e apatia.

Levodopa – precursor metabólico da dopamina, utilizado na doença de Parkinson.

Levotiroxina – fármaco indicado nos casos de hipotiroidismo.

Lipossolúvel – solúvel em gordura.

Litíase cálcica – formação de cálculos de cálcio, nos rins.

Lixiviação – Remoção de compostos solúveis através do contacto com um líquido.

topo


M

Malformações congénitas – anomalia morfológica estrutural presente no nascimento.

Medula óssea – tecido esponjoso que preenche a cavidade interior dos ossos, responsável pela produção de células sanguíneas.

Mercaptopurina – fármaco utilizado no tratamento de certos tipos de leucemia.

Metabolismo - conjunto das transformações físico-químicas que ocorrem em todos os tecidos do organismo. Estas transformações são acompanhadas por fenómenos energéticos (acumulação ou libertação de energia).

Metabolismo Basal - necessidades energéticas mínimas do organismo, em repouso, para assegurar as funções vitais, isento de qualquer dispêndio não indispensável de energia. Varia de acordo com numerosos fatores como o sexo, a idade, o peso, a gravidez, o clima, a altitude, algumas doenças, etc.

Metformina - fármaco utilizado no tratamento da diabetes.

Metionina – um dos aminoácidos essenciais.

Metotrexato – fármaco utilizado na artrite reumatoide, algumas doenças de pele e alguns tipos de cancro.

Monoterapia – Tratamento com recorrência a apenas um fármaco.

topo


N

NAD – abreviatura de Nicotinamide Adenine Dinucleotide. Coenzima envolvida em muitas reações bioquímicas de redução-oxidação.

NADP – abreviatura de Nicotinamide Adenine Dinucleotide Phosphate. Coenzima envolvida em algumas reações bioquímicas de redução-oxidação.

Naproxeno - fármaco pertencente à classe dos anti-inflamatórios não-esteróides.

Neomicina – antibiótico.

Neuropatia Periférica – disfunção dos nervos periféricos.

Neurotransmissores - substância química que transmite os impulsos nervosos através da sinapse.

Nifedipina – fármaco anti-hipertensor e vasodilatador.

topo


O

Obesidade - Acumulação excessiva, mais ou menos generalizada, de tecido adiposo, que provoca um aumento de peso superior a 25% do peso estimado normal.

Obstipação - prisão de ventre.

Omeprazol - fármaco pertencente à classe dos inibidores da bomba de protões que modifica a secreção gástrica.

Opsina – proteína que se combina com o retinal para formar pigmentos visuais nas células da retina.

Orlistato – fármaco utilizado na obesidade.

Osteoblastos – célula essencial para a formação do osso.

Osteocalcina – proteína encontrada no osso e na dentina, produzida pelos osteoblastos e que é essencial para a mineralização óssea.

Osteoclastos – células que constituem a matriz óssea, de tamanho maior em relação às outras células e estão envolvidas na reabsorção óssea.

Osteopénia – redução da densidade óssea para níveis inferiores aos normais.

Oxalato – substância química orgânica presente em certos alimentos.

topo


P

Paratiroide –quatro glândulas que se localizam ao lado da glândula tiróide e controlam os níveis de cálcio.

Penicilamina – fármaco que pode ser utilizado na artrite reumatoide, doença de Wilson, intoxicação grave por metais e cistinúria.

Petéquia – ponto vermelho causado por uma pequena hemorragia dos vasos sanguíneos.

Pirimetamina – medicamento antimalárico.

Polineuropatia – doença que envolve vários nervos periféricos.

Poliúria – excreção excessiva de urina.

Porfirina - componente da hemoglobina que está presente nos glóbulos vermelhos.

Precursor – composto que dá origem a outro num processo metabólico.

Pré-eclâmpsia – condição que ocorre durante a gravidez e que se caracteriza por hipertensão arterial, proteínas na urina e edema.

Primidona – fármaco antiepilético e anticonvulsivante também indicado no tremor.

Protease - enzima responsável pela quebra das cadeias proteicas

Proteínas - nome genérico dos componentes orgânicos azotados, animais e vegetais cuja molécula é composta por numerosos aminoácidos e que desempenham uma função essencial em toda a matéria viva.

Proteinúria – Excesso de proteínas presentes na urina.

Púrpura – manchas vermelhas na pele causadas pelo sangramento nos tecidos subcutâneos.

topo


Q

Quilocaloria: 1000calorias (Kcal).

topo


R

Rabdomiólise – destruição das fibras do músculo esquelético.

Rabeprazol - fármaco pertencente à classe dos inibidores da bomba de protões que modifica a secreção gástrica.

Radicais livres – fragmentos químicos altamente reativos que podem produzir alterações nas células, geralmente prejudiciais.

Ranitidina - fármaco antagonista dos recetores H2 que modifica a secreção gástrica.

Reabsorção óssea – remoção do tecido ósseo pelos osteoclastos.

Ribosilação – processo que ocorre após a tradução das proteínas.

Rifampicina – fármaco utilizado para a tuberculose.

topo


S

Sinalização intracelular – conjunto de mecanismos que permite que as células comuniquem.

Sistema hematopoiético – órgãos responsáveis pela produção de células sanguíneas.

Stress oxidativo – alterações patológicas que ocorrem no organismo devido aos níveis excessivos de oxidantes e radicais livres.

Sucralfato – fármaco utilizado como protetor da mucosa gástrica.

Sulfassalazina – fármaco anti-inflamatório intestinal.

topo


T

Tempo de protrombina – medida laboratorial que avalia o tempo necessário para a formação de um coágulo.

Tempo de semi-vida – tempo que leva a que uma determinada substância reduza a sua concentração para metade.

Termossensível – facilmente afetado pela temperatura.

Tetania hipocalcémica – espasmos musculares associados a dor.

Tiazidas – classe de fármacos diuréticos que atuam por inibição da reabsorção de sódio na porção inicial do túbulo contornado distal.

Tiroxina – hormona produzida pela tiróide.

Transporte ativo – transporte de partículas através das membranas celulares contra o gradiente de concentração.

Trimetoprim – antibiótico.

Triptofano – aminoácido precursor da niacina.

Tubo neural – estrutura embrionária que se irá diferenciar na medula espinal e cérebro.

topo


V

Valproato – fármaco antiepilético e anticonvulsivante.

Varfarina – fármaco anticoagulante.

Verapamilo – fármaco anti-hipertensor e antiarrítmico.

Via parentérica – uma das possíveis vias de administração que exclui o tubo digestivo e o trato respiratório, e que recorre a injeções para chegar aos tecidos ou diretamente à corrente sanguínea.

topo


X

Xeroftalmia – também chamado de "olho seco", é uma doença que se caracteriza pela secura e espessamento anormais da córnea e conjuntiva do olho, resultado de uma baixa produção de lágrimas e consequente dificuldade em ver.

topo